16 dezembro 2006

No Divã




Eu nem sei por onde começar em todos os meus 24 anos esquisitos...
...
Por que sempre sou negligenciado pelo quase ?
e se eu parasse de demonstrar atenção ?
e qual o motivo do seu abandono ?
E seu te dissesse que dei sempre o pior de mim ?
Seria minha a responsabilidade por sua apatia ?
Seria minha a obrigação de te atiçar?
Eu estaria melhor se tivesse escolha...
e se minha invisibilidade não fosse respeitada?
Eu não teria me acovardado...
Eu não teria me comprometido tando...
Eu não teria sido tão frio ao ponto de você me questionar...
- Quem você pensa que é ? -
Você movimentou meu mundo.
dos detalhes mais necessários...
das histórias mais interessantes...
dos olhares mais complacentes...
Eu estaria mentindo se eu dissesse que não estava completamente envolvido...
..
"Preciso mesmo te contar tudo" ?
...
Tudo seria diferente, com meus planos, sem a sua abnegação...
Tudo soava bem na teoria...
...
Eu tenho andado preocupado...
às vezes desapegado, às vezes bruto...
...
"Quanto tempo me resta" ?
...
Sim.
Eles estão preocupados, em choque.
- Como vocês podem continuar com tal convicção? -
e eles deveriam mesmo seguir esse caminho.
eu os deixei embaraçados dentro dessa ilusão...
e não!
De forma alguma me adequaria aos anseios deles.
Por isso estou aqui !
...
Eu não estaria aqui dizendo que sou infeliz...
em vão.
Estaria ?


...

Um comentário:

janna disse...

n sei nem o q dizer, mas da pra ver tua agonia...seria estranho eu dizer q o texto é bonito com tanta tristeza...mas vai ver q é por isso mesmo q é...poesia só pesta triste...heheheh

abraços saudosos!